Mentoria para Empreendedores

Sair do trabalho por escolha própria ou porque foi escolhido e ficar à deriva buscando uma forma de pagar as contas em casa. Essa é uma situação muito familiar para milhares de brasileiros, especialmente no período pós pandemia. Esse cenário fez com que a opção de abrir um próprio negócio, deixasse de ser algo apenas para corajosos e sonhadores e passou a fazer parte da grande parte da população economicamente ativa do país.

Seja por escolha ou necessidade, o maior desafio do novo empreendedor são sempre os mesmos: Querer colocar um sonho (ou necessidade) em prática e não ter ideia de por onde começar. Deve abrir loja física ou online? Ou, até mesmo, quanto será que vou ganhar no final do mês. Para tentar solucionar esses e muitos outros desafios, tornou-se comum nos últimos anos falar-se em mentoria para empreendedores.

Mas afinal, o que é mentoria? O termo é complexo para uma definição simples, que nada mais é do que o mentorado – ou seja, o empreendedor que precisa de ajuda – buscar alguém que seja mais experiente, o mentor, para ajudá-lo a desenvolver a sua vida empreendedora. A ideia é que, ao passar suas experiências e o seu conhecimento para o mentorado, o mentor consiga ajudá-lo a acelerar o processo de aprendizado, evitando erros práticos e até fornecendo sua rede de networking.

“As pessoas me procuram para ouvir o que eu já vivi de experiência, o que eu tenho de conhecimento e posso contribuir através da minha vivência. Eu levo para eles experiências reais de coisas que já aconteceram comigo ou que estive conectadas de alguma forma, mostro os lados positivo e negativo. É um processo em que aconselho, dou insights, trago perguntas e respostas e dou ideias, sempre usando a experiência profissional”, explica Paula Esteves, que há mais de 20 anos é empresária e Consultora de empresas como FGV Consulting e Kroll e hoje lidera um
Movimento em prol do empreendedorismo feminino através da educação, usando a plataforma WorkLover e sua metodologia de formação de empreendedores, Método P.

O ideal é que a escolha do mentor seja feita com base nas suas experiências e na proximidade delas com o seu negócio. Não adianta escolher um mentor da área industrial se o seu negócio for um hotel, por exemplo. O mentor não conseguirá agregar com as nuances específicas da sua área e muito menos compartilhar uma rede de networking que realmente te ajude. Vou explicar melhor: A mentoria é quando um empreendedor experiente e de boa reputação em determinada área ajuda outro profissional menos experiente a superar obstáculos e resolver problemas de forma estratégica e simplificada. Assim, a parte que está aprendendo evita falhas, o que economiza tempo e dinheiro.

Dessa forma, o mentor é um indivíduo que atua ou já atuou em um segmento igual ou semelhante ao do seu aprendiz. Ele tem know-how para antecipar problemas e apresentar soluções ágeis, mesmo em situações muito específicas e difíceis de lidar. Afinal, ele sabe como agir em circunstâncias que são novidade para quem está começando.

Vale dizer que o mentoring não é impecável em seus conselhos e ações, mas reduz a probabilidade de outros profissionais cometerem erros grotescos, sinalizando falhas operacionais e mostrando possibilidades desconhecidas para o negócio. Sendo assim, ele apresenta os rumos que a empresa precisa seguir, identifica oportunidades e elimina erros de principiante.

Ter alguém para dividir e compartilhar é muito bom, se essa pessoa tiver mais experiência que você na área, melhor ainda. Você encurta o caminho e economiza dinheiro e de quebra, ainda faz um amigo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.